Naturopatia

“A Naturopatia é a ciência, arte e a filosofia do tratamento da doença que tem por objectivo trazer a saúde ao homem, através do recurso aos meios naturais”

A OMS considera a Naturopatia como sendo uma Medicina Tradicional.

A origem da Naturopatia se deu com um movimento de “ volta à natureza “ no século XIX. Reagindo contra as práticas médicas da época, a doença, a sujidade e a degradação causadas pela “ Revolução Industrial “, os fundadores europeus da Naturopatia, defendiam a exposição ao sol, água e ar, como a melhor terapia contra todos os males.

A Naturopatia não é apenas uma terapia, mas sim, uma filosofia de vida. Este sistema baseia-se no facto de que o corpo pode curar a si mesmo, quando livre de toxinas que se acumulam devido aos maus hábitos adquiridos durante a vida. Estimulando as defesas naturais do corpo, a Naturopatia alcança o equilíbrio e a harmonia. Hoje em dia, a Naturopatia é muito usada contra uma série de problemas agudos e crónicos. As recomendações para os tratamentos podem incluir algumas práticas isoladas ou combinadas entre si, como:

Dieta de desintoxicação: jejuns ou ingestão de grande quantidade de água e/ou líquidos para purificar o corpo.

Trofologia: conselhos sobre alimentação adequada às necessidades do nosso corpo para cultivar e restabelecer a saúde. Por exemplo a alimentação vegetariana ou a eliminação de certas categorias de alimentos, a combinação de alimentos, ou conforme o grupo sanguíneo, etc.

Suplementos Alimentares: vitaminas, minerais, enzimas, aminoácidos, (para aumentar a resistência).

Fitoterapia: utilização de plantas, flores, ervas e árvores para tratar e prevenir a má saúde física mental e emocional.

Homeopatia: preparações contendo substâncias extremamente diluídas oriundas de diferentes ervas, minerais, animais ou químicos. Com o conceito de que o semelhante cura o semelhante e desenvolvido por Samuel Hahnemann por volta de 1800.

Massagem: por exemplo Shiatsu, massagem Ayurvédica, Quiromassagem, etc.

Redução do stress: Hipnoterapia, Meditação,
técnicas de respiração.

Hidroterapia: uso da água para estimular a circulação e aumentar a energia.

Exercício físico: sugestões conforme problema, características físicas e grupo sanguíneo.

Florais: são essências de plantas e flores que ajudam a equilibrar determinados estados emocionais.

Aromaterapia: tratamento utilizando óleos essências por inalação, massagem, banhos e compressas.

MEDICINA NATURAL

MEDICINA NATURAL

sábado, 13 de agosto de 2011

O poder da quinua Real


O poder da quinua Real

Em busca de uma alimentação saudável e consequentemente por saúde, muitas pessoas aderiram à utilização dos cereais no dia-a-dia. Além de fornecerem boa quantidade de vitaminas e minerais, eles também são boas fontes de fibras.

Com esta procura por uma alimentação mais saudável e equilibrada, foram sendo inseridos na alimentação, novos cereais, e a quinua é um deles. Entenda por que este cereal virou o preferido de quem busca saúde pela alimentação.

Proveniente da Bolívia e considerada um cereal sagrado pelos Incas, a quinua é um cereal que contém várias propriedades benéficas à nossa saúde.

Para se ter uma idéia, o grão é tão nutritivo que foi qualificado como o melhor alimento de origem vegetal para consumo humano pela Acadêmia de Ciências dos Estados Unidos, por seu extraordinário valor nutritivo. Sendo comparada apenas, ao leite materno, com o valor de suas proteínas superior ao de todos os demais cereais.

Além das proteínas são encontradas: vitaminas A (importante para a saúde dos olhos), B1, B2 e B3 (relacionados ao bom funcionamento do sistema nervoso central), B6 (ligada aos processos inflamatórios), E e C (antioxidantes, ou seja, previnem danos as nossas células) e os minerais, ferro (previne anemia); fósforo e potássio (ligado ao bom funcionamento dos músculos), magnésio (relacionados aos processos antiinflamatórios), zinco (constituinte do sistema imune) e o cálcio (contribui para boa formação dos ossos e dentes).

O grão é considerado ainda, boa fonte de fibras o que contribui para o bom funcionamento do intestino, colabora na absorção do colesterol e da glicose. Possui ainda alto valor energético e rico em ômega 3 e 6. Rico em fitoestrógenos, substâncias naturais que imitam a ação de certos hormônios, ajudando a amenizar os sintomas da TPM e da menopausa.

Sendo este grão tão nutritivo, não é dificil entender por que ele é cada vez mais utilizado. Mas, como ele pode ser consumido?

Este cereal pode ser utilizado de diversas maneiras, tanto o grão, quanto a folha, que podem ser preparadas refogadas, assim como preparamos o espinafre. O grão, que é a forma de mais fácil utilização, e o mais fácil de ser encontrado, pode ser preparado de várias maneiras: cozido e temperado como salada, preparado como arroz, e pode ainda ser utilizado no preparado de sopas, etc. Pode-se utilizar também a farinha de quinua para o preparo de mingau, pães, pudins, massa de panqueca, bolos biscoitos, entre outros.

Além disso, este grão não possui glutén (proteína encontrada no trigo), sendo, portanto, uma ótima alternativa na alimentação dos celíacos (pessoas com intolerância ou alergia ao glutén).

E qual a quantidade de quinua deveríamos ingerir?

Recomenda-se o consumo diário, sendo que a quantidade mínima é de 3 colheres de sopa, podendo ser associada a ingestão de alimentos ricos em vitamina C, para aumentar a absorção dos seus nutrientes.

Fonte: ANutricionista.Com - Tatiana de Oliveira Rocha - CRN4 10100062 - Nutricionista em Vitória e Vila Velha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário